-->

Novembro 2015

My Blog

Latest blog
Já cansei de reclamar que o ano está passando muito rápido, então, vou fingir que isto não foi uma reclamação. De fato, Novembro foi um dos meses mais inesperados do ano! Um mês que começou lento, e exatamente em seu meio, deu uma reviravolta total e me deixou bastante feliz, finalizando de maneira bem satisfatória. Finalmente consegui meu emprego temporário, no qual pretendo ficar até me estabilizar em questão de trabalho autônomo, e finalizar meus estudos. Felizmente, estou gostando muito de lá, eu trabalho numa galeria de arte, estou apaixonada com tudo! Sem contar com o horário que me permite prosseguir com outros projetos pessoais sem interferências. Além disso, continuei com os planejamentos de viagens, me organizei financeiramente e revisei bastante projetos pessoais, inclusive aqui do blog também. Iniciei minha reforma aqui, e já alcancei sete metas cumpridas das 30 coisas para se fazer antes dos 30, vinte e uma realizadas das 101 coisas em 1001 dias e finalizei totalmente minhas 20 metas para 2015, com algumas que não deram certo - o que faz parte! Mas irei aprofundar melhor essas metas no mês que vem! E bom, de modo geral, Novembro foi um mês bem feliz! :3
Com relação às metas, não tive tanto êxito, mas foi por uma boa causa! xD
01. Finalizar a leitura dos livros do Asimov publicados pela Aleph.
Comecei a ler o último livro faz alguns dias, então, meta parcialmente cumprida.
02. Conhecer pessoalmente um amigo que tenho contato pela internet.
Não tive ânimo, disposição, nem tempo e grana pra combinar nada este mês! ):
03. Experimentar uma culinária nova. (Exceto japonesa)
Eu comi um monte de coisas, mas de fato, só comida brasileira mesmo.
04. Ler três livros do Philip K. Dick que estão na lista de espera.
Eu vinha num pique bom com relação as leituras... Novembro chegou, o pique acabou! 
05. Terminar de estudar o Tarot Wicca, e começar O Tarot Mágico das Bruxas.
Feito! Eu já tinha bastante familiaridade com o Wicca, agora estou amando o das Bruxas!
06. Visitar três museus de São Paulo.
Comecei a trabalhar e fiquei sem dias disponíveis.
07. Comprar uma agenda para 2016.
Resolvi manter-me organizada pelo Evernote mesmo.
Afinal, as agendas estão caras, e sempre acabo jogando fora depois!
Bom, finalizando, muitos problemas antigos resolvidos, muitos recomeços, muitas novidades, surpresas e felicidades. É bom terminar o mês assim, se sentindo aliviada, e tranquila. Vou encarar um Dezembro bem melhor dessa forma! Já estou pensando na viagem que quero fazer no Ano Novo, e como vou passar o Natal. *-* Também me afastei de algumas pessoas que não me inspiravam confiança virtualmente, e pessoas falsas mesmo, que diziam ser amigas, mas viviam numa maledicência que me fazia sentir mal depois de conversar com elas. Provavelmente falava mal até de mim pelas costas! Hauha! Bom, acredito que foi bom para ambas as partes! Eu sempre tive meu blog como um diário pessoal mesmo, e senti que isso veio se perdendo nos últimos meses, por isso fiz essa revisão toda nos meus projetos e na minha vida, e por este motivo também resolvi me afastar de pessoas que só se aproximavam por interesse, afinal, eu gosto de criar laços verdadeiros. Se eu não me dou bem com alguém, prefiro me afastar do que ficar reproduzindo aquele discurso de maledicência. Nunca é tarde para mudar maus hábitos! 

Já andei fazendo alguns planos para o blog com relação ao próximo ano e vamos ver aí, onde vamos parar! O mais importante é guardar boas memórias e não passar pelos meses sempre esperando algo de bom acontecer, sendo que podemos construir boas memórias todos os dias, desde coisas pequenas, até coisas mais elaboradas. Tudo vai do nosso planejamento também. Estou batalhando para parar de reclamar das coisas que acontecem na minha vida, e começar a construir eu mesma as coisas que eu quero que aconteça! Afinal, ficar sentado reclamando não vai mudar nada, só vai é nos chatear ainda mais! Hahaha! Espero que tenham tido um ótimo mês também! ^^

E só pra não finalizar sem música, estou viciada neste álbum! ♥
Como comentei na publicação anterior, já comecei a reformar o blog. Não é só a parte visual que senti que precisava de uma revisão, mas todas as postagens e principalmente, todos os projetos. Essa parte, era a mais trabalhosa e finalmente a finalizei, agora, portanto, a partir de dezembro vou melhorar a aparência, para tentar deixar o bloguinho do jeito que quero para o próximo ano. Bom, com relação ao projeto Renovando o Guarda Roupas, eu vinha sofrendo uma crise existencial com ele. Apesar de já ter começado as compras, não sentia estar indo pelo caminho certo, então, resolvi reler tudo o que produzi até agora e reformulá-lo. Também não estava gostando da forma como estava publicando as compras e os resultados por aqui, portanto, acabei excluindo bastante publicações, incluindo a wishlist, para me direcionar melhor de agora em diante. 
E então, acabei repensando-o e decidindo fazer mais um destralhe, já que comprei algumas coisas novas e alguns itens da lista de saída já podem ser dispensados, e de agora em diante, seguir uma lista mais organizada de compras, que se refere exatamente à cada "categoria" dentro do armário. Isto vai me ajudar a pensar em tudo o que preciso, uma quantidade essencial, e por último, mas não menos importante, a adequação de tudo isto ao meu estilo. Fica bem mais fácil do que pensar em wishlists, como eu vinha fazendo - isto não quer dizer que irei dispensá-las totalmente - e comprar pensando em outfits para cada estilo que já discuti anteriormente aqui. Agora as coisas vão ficar mais fáceis! Eu já fiz todas as categorias que preciso complementar no meu Evernote, e pensarei numa maneira mais interessante de publicar as compras por aqui, mas fica então, o comunicado de revisão. ^^ Acompanhem-me pelo Instagram também, pois sempre estarei atualizando as novidades por lá! 

Acho importante manter nossos projetos sempre em discussão, sempre revisando-os para termos certeza de que estamos no caminho certo, para chegar ao final do projeto e sentirmos que realizamos o esperado. Eu não sentia que iria alcançar meu objetivo da forma como vinha conduzindo até então, estava prevendo encher novamente o guarda roupas de peças que não vou usar, e voltar ao estágio inicial mais uma vez. Agora acredito que vou conseguir caminhar adequadamente, e ainda finalizar o projeto numa data mais interessante para depois, iniciar meu outro plano de passar um ano inteiro sem comprar roupas! 
Que a força esteja comigo! ^^
Continuando a Futuristic Movie Timeline...
O Quinto Elemento é um filme de 1997, cuja história se passa durante o século 23, no qual Korben Dallas (Bruce Willis), um motorista de táxi, precisa encontrar o quinto elemento que é capaz de salvar a Terra de uma terrível ameaça vinda de outra dimensão. Porém, esse ser chamado Leeloo (Milla Jovovich) sabe que precisam encontrar quatro pedras que representam os elementos Terra, Fogo, Ar e Água, para poderem salvar o planeta. Agora Dallas, juntamente com o padre Vito Cornelius (Ian Holm), tentará a todo o custo salvar o planeta e proteger Leeloo. (www) | Como eu adoro esse filme! Já assisti várias e várias vezes e nunca me canso! Sou hiper fã da Jovovich e do Willis, e este filme é um dos clássicos dos dois! A história é divertida, os cenários são super chamativos e até o figurino desse filme é muito interessante. Um ótimo sci-fi para descontrair!
O Planeta Proibido é um filme bem antigo de 1956, dirigido por Fred M. Wilcox. O roteiro é vagamente inspirado na peça A Tempestade, de Shakespeare, que foi adaptado para a literatura por W.J. Stuart. Assistindo hoje, é impossível não considerá-lo datado, mas para a época em questão, o filme apresentou efeitos especiais inovadores, além de um dos robôzinhos mais famosos da história do cinema internacional: Robby! O filme serviu de inspiração para a série Star Trek, conforme contou Gene Roddenberry em sua autobiografia. | Apesar de ser datado, dá pra compreender, ainda mais levando-se em conta sua época, porque esse filme marcou tanto! Eu, particularmente, achei a história bem fraca, mas gostei de tê-lo visto no geral. Acredito que hoje já é bem mais difícil encontrá-lo para assistir online.
Zardoz é um sci-fi de 1974, que conta com a atuação de Sean Connery. O Vortex é uma luxuriante e exclusiva comunidade, formada por cientistas e intelectuais imortais completamente preservada do contato com o mundo exterior. Do lado de fora do Vortex, existe um mundo desolado arrasado pela guerra e poluição, povoado pelos brutos, selvagens primitivos e assassinos que adoram um deus aterrorizante, chamado Zardoz. Mas um rebelde (Sean Connery) está decidido a sobreviver seguindo suas próprias leis, que podem ameaçar o equilíbrio da civilização e... possivelmente destruí-la. Zardoz é uma aventura sofisticada, freqüentemente elogiada por seus efeitos especiais e complexo imaginário. (www) | Viajado é pouco. Pra quem se acostumou a ver o Sean interpretando filmes sérios, com personagens sérios e bem vestidos, mal imagina que ele já interpretou um selvagem peladão como neste filme! Hahaha! Apesar de não ter me acostumado muito bem aos efeitos deste filme, gostei bastante da história que é aberta à diversas interpretações. É, sem dúvidas, um filme muito interessante para discussões.
Fonte das Imagens: Google
Continuo aparecendo esporadicamente por aqui, mas não deixei de dar continuidade aos meus projetos! Hoje, continuando a Futuristic Movie Timeline, venho comentar uma das minhas trilogias favoritas, e simplesmente uma das melhores de sci-fi da história: Matrix! Acho muito improvável que ninguém tenha visto ou sequer ouvido falar, então, serei breve.
Sobre os filmes:
O primeiro filme se passa num futuro próximo, no qual Thomas Anderson (Keanu Reeves ♥), um jovem programador de computador mora em um cubículo escuro, e é atormentado por estranhos pesadelos nos quais encontra-se conectado por cabos e contra sua vontade, em um imenso sistema de computadores do futuro. Em todas essas ocasiões, acorda gritando no exato momento em que os eletrodos estão para penetrar em seu cérebro. À medida que o sonho se repete, Anderson começa a ter dúvidas sobre a realidade. Por meio do encontro com os misteriosos Morpheus (Laurence Fishburne) e Trinity (Carrie-Anne Moss), Thomas descobre que é, assim como outras pessoas, vítima do Matrix, um sistema inteligente e artificial que manipula a mente das pessoas, criando a ilusão de um mundo real enquanto usa os cérebros e corpos dos indivíduos para produzir energia. Morpheus, entretanto, está convencido de que Thomas é Neo, o aguardado messias capaz de enfrentar o Matrix e conduzir as pessoas de volta à realidade e à liberdade. (www) Já o segundo e terceiro filmes, continuam a história até seu desfecho, passando por vários obstáculos como o avanço das máquinas, o enfrentamento com o agente Smith e várias outras situações que contribuem para que Neo se torne cada vez mais poderoso, mostrando tudo o que é capaz de fazer por ser o escolhido. 
Matrix é um caso de amor muito antigo pra mim. Foi um dos primeiros filmes de ficção científica que realmente prendeu a minha atenção e mexeu com os meus sentimentos. Tudo neste filme me atrai, desde a história elaborada, quanto os atores, os personagens, os cenários, absolutamente tudo neste filme é significativo pra mim. Marcou demais em diversas fases que vivi, portanto, dizer que é um filme muito bom é simplesmente pouco! Além de propor essa questão do que é realidade, ainda trás boas questões filosóficas para discussão, sobre a vida que estamos vivendo e o sentido disto tudo. Keanu Reeves é um dos meus atores favoritos! Além de excelente ator, no qual todos os filmes que faz sempre apresenta um ótimo trabalho, ainda é envolvido em várias causas sociais, fazendo-me admirá-lo inclusive como pessoa! Não tem como não gostar dele!

Voltando aos filmes, confesso que fiquei um pouco confusa com relação à construção da Matrix, pela maneira como foi apresentada ao final do terceiro filme, mas isto não contribuiu para que eu gostasse menos dele. Muitas cenas marcantes, em especial Neo desviando dos tiros, parando as balas do agente Smith no primeiro filme, a pílula azul e vermelha, serão cenas lembradas eternamente. Todos os filmes foram sucesso de bilheteria e foram dirigidos pelos irmãos Wachowski, e inclusive, até hoje nunca assisti algum filme dirigido por eles que não fosse realmente bom! Matrix ainda apresenta vários elementos de outras obras de sci-fi, trazendo referências até mesmo de Metrópolis, de animes como Ghost in the Shell, aludindo à filosofia de Platão e Descartes e também, acrescido de influências religiosas como o Messianismo Judaico-Cristão. Além disso, também alude claramente à literatura cyberpunk, mais especificamente Neuromancer, de William Gibson, um dos meus livros favoritos! A Trinity é uma releitura perfeita da Molly Millions. Em questão de curiosidades, Neo, é um anagrama de One ("Um", que no contexto do filme representa "o escolhido"). E outros atores também foram cogitados para o papel de Neo, como Ewan McGregor e Will Smith - ainda bem que foi Keanu Reeves o escolhido! Haha! E para o papel de Morpheus, Val Kilmer! Bom, eu poderia ficar um tempão aqui dizendo o quanto o filme é bom, mas acredito que muita gente já assistiu, e entende o meu entusiasmo. Jamais esqueceremos os óculos escuros e capas pretas que Matrix trouxe para nossas vidas!
Fonte das Imagens: Google
Hoje venho com outro texto que já publiquei anteriormente e acabei apagando. Bom, em meu último texto sobre a Subcultura Gótica, citei os movimentos musicais Krautrock, o Glam, o Proto-Punk e o Beat como influências na subcultura. Mas então, o que exatamente foram esses movimentos e o que eles significaram? Confesso que eu mesma sabia pouco sobre estes movimentos, apenas um pouquinho mais sobre o Proto-Punk e o Beat, graças ao livro "Mate-me, Por Favor" que conta a história do punk. É muito gratificante poder aprender mais sobre assuntos que fazem parte do meu interesse pessoal. 
Kraftwerk
O Movimento Krautrock
O movimento Krautrock, também conhecido como Krautwave, é um movimento musical das bandas experimentais da Alemanha, do fim da década de 60 e início da década de 70. Assim como o gótico, inicialmente o nome "Krautrock" tinha significado pejorativo, uma vez que seu significado literal une as palavras "pessoa alemã" com "repolho azedo". Mais tarde, com o evidente sucesso das bandas, ganhou um significado positivo, atualmente sendo visto como reconhecimento. São bandas que fazem parte deste movimento: Tangerine Dream, Faust, Amon Düül II e Can, dentre muitas outras. Confesso que não conheço, mas fica então, a deixa para pesquisar e conhecer bandas novas! Essas bandas manifestavam em suas músicas uma rejeição à cultura anglo-americana dominante nos períodos de pós-Segunda Guerra, em prol de uma definição própria, mais radical e experimental, que seria a nova cultura alemã. 

Além disso, o Krautrock pode ser considerado uma síntese de influências que vão desde a psicodelia da fase inicial do Pink Floyd, Velvet Underground ♥ e La Monte Young até as vanguardas eruditas do século XX. Sem esquecer das características minimalistas, atonalistas e do free jazz também. Na prática, caracteriza uma obsseção por dissonâncias, ruídos, colagens sonoras, improvisações e uma maior preocupação com o timbre do que com a melodia. Dentre os gêneros post-punk, eletrônico e alternativo existem muitas bandas que reconhecem a inspiração Krautrock, como Joy Division ♥, Sonic Youth, Gary Numan, Throbbing Gristle e Cabaret Voltaire, dentre outras... Obviamente, não se pode denominar todas as bandas alemãs do período como tal. Fica de lição de casa, inclusive para mim, pesquisar e ouvir algumas bandas deste movimento, uma vez que só conheço as que foram influenciadas.
Bowie
O Glam Rock
Aqui entramos em terras conhecidas, pois, quem nunca ouviu falar de David Bowie e Kiss, por exemplo? O Glam Rock é uma abreviação de Glamour Rock, um gênero musical nascido no final dos anos sessenta, na Inglaterra. Esse gênero é marcado pelos trajes cheios de purpurinas, saltos altos, glitter, batons, lantejoulas e paetês, sendo usados, principalmente, por bandas masculinas ou figuras que aludiam à androginia, como Bowie em sua fase Ziggy Stardust. A banda mais marcante desse gênero para mim é Twisted Sister, uma das que adoro! Vale lembrar que o Glam Rock se diferencia do Glam Metal por ter um som menos pesado. Em questão de influências na subcultura gótica, basta analisar várias bandas e artistas que exageram em seus trajes andróginos e maquiagem pesada, por exemplo.
O Proto-Punk
O Proto-Punk, na realidade, não é considerado um gênero musical distinto. Este nome é usado apenas para designar os elementos percursores do punk rock, que vieram de uma grande variedade de origens, estilos e influências. Para designar uma série de artistas da música que foram importantes para a consolidação do punk rock, do final dos anos 60, até meados dos anos 70. Dentre os grupos e artistas notáveis estão: Ramones, The Who, The Stooges, The Kinks, The Runaways, David Bowie, T. Rex, The Velvet Underground♥, MC5, New York Dolls, Lou Reed♥, Television, Patti Smith, Roxy Music, dentre muitos outros. Alguns artistas, como Roxy Music e David Bowie, teriam estendido sua influência até movimentos posteriores, como new wave e post punk. Esse é o movimento que mais tenho afinidade, talvez pela leitura que fiz do livro que citei no início desta publicação, que serviu para que eu conhecesse melhor o universo do punk pelos artistas e suas histórias.
The Doors
E por fim, a Geração Beat
Este é um dos meus movimentos favoritos, e acredito eu, um dos mais importantes. Beat é um termo usado para descrever principalmente escritores e poetas que se tornaram conhecidos no final da década de 50 e começo da década de 60, quanto ao fenômeno cultural que inspiraram - posteriormente chamados de beatniks. Esses artistas levavam vida nômade, ou fundavam comunidades, consistindo desta forma, no embrião do que viria a ser conhecido como movimento hippie. Uma curiosidade é que John Lennon se inspirou nessa palavra para batizar seu grupo musical, The Beatles. Na verdade, a coisa se tornou ainda maior, pois, a Beat Generation, o movimento hippie e antes de todos, o Existencialsmo, contribuiram para um movimento maior, hoje conhecido como contracultura. Os ecos da geração beat podem ser vistos em muitas outras subculturas, além da cultura hippie, como na dos punks, por exemplo. Cara, isso tudo me fascina tanto! ♥

Para mim, é impossível pensar em "geração beat" sem lembrar do The Doors, que é uma das minhas bandas favoritas no momento. Um dos ícones desta geração, é o livro "On The Road", de Jack Kerouac, e confesso que parei em sua metade. Em breve, inclusive, farei resenha de todos estes livros que estou citando por aqui, principalmente este último, que é referenciado em diversos filmes e ícones culturais, até mesmo em Sobrenatural, que alude à Sal e Dean (personagens do livro). Assisti recentemente o filme sobre este livro: "Na Estrada", inclusive com o mesmo ator que interpreta o Ian Curtis, no filme "Control"! Sem dúvidas, gostei bastante! Ainda sobre este último filme, do Joy Division,  já o comentei aqui no blog.

Espero que tenham gostado dessas breves definições, e caso queiram aprofundar, recomendo muito, pois há muito o que ser conhecido ainda. Compartilhem também se curtem ler sobre este tipo de conteúdo! :3
Fonte das Imagens: Google
Ultimamente tem acontecido tanta coisa em pouco espaço de tempo, que estou desconfiada que tudo estava esperando para acontecer ao mesmo tempo! Finalmente consegui encontrar um emprego temporário numa lojinha de arte que eu sempre quis trabalhar, que é perto da minha casa, e pretendo ficar nela até começar a produzir minhas peças em casa e poder dar andamento ao meu trabalho autônoma. Estou bastante feliz, pois o horário reduzido ajuda muito, não prejudica meus estudos e é um lugar bastante tranquilo, do jeito que eu queria! ♥ Isso significa que irei diminuir o ritmo por aqui, mas não irei parar! Bom, hoje venho falar sobre mais uma novidade: minha nova parceria com a loja Ravenous, da linda da Estefani! Fiquei bastante feliz, pois adoro os acessórios em acrílico dela, e amei todas as peças que recebi! Maaaas, não sou só eu que ganho! Vocês podem utilizar o cupom de desconto "Asphyxia" em suas compras acima de R$ 30,00 e ganhar R$ 7,00 de desconto! *-*
Não deixem de passar na loja para conhecer! Todos os produtos em acrílico são feitos pela própria Estefani, e possuem um ótimo acabamento. Eu fiquei fascinada com as peças que recebi, e feliz também por ela ter deixado eu escolher aquelas que mais me identifico! Além de colares, lá na loja você encontra também anéis, brincos, uma grande variedade de colares, além de algumas peças de roupas também! Abaixo selecionei algumas das muitas peças que gostei bastante! ♥ Vejam.
Eu tenho curiosidade em saber como funciona esse processo, porque as peças realmente ficam bem perfeitinhas, bem desenhadas, nada torto! Inclusive, caso você deseje alguma peça específica, como um nome, ou um desenho diferente, dá pra conversar com a dona da loja e orçamentar uma peça exclusiva! Estamos até estudando algumas possibilidades que mostrarei mais à frente aqui no blog. Abaixo, vocês veem as peças lindas que eu recebi! Eu pensei que viriam apenas duas, mas a linda da Estefani ainda me mandou um anel e outro colar de presente, nessa caixinha de presente fofa! ♥ Muito amor e atenção!
Repare no detalhe desse anel! <3
Todas as peças vem com uma película de proteção, e muito bem embaladas. Vale a pena ressaltar que as peças são um pouco frágeis, mas usando com cuidado, não tem risco de quebrar! Então, principalmente para guardar, recomendo evitar deixar junto com outras peças pra não criar atrito, riscar ou quebrar a peça. Eu mesma estou utilizando a própria caixinha que a Estefani enviou! E é isso aí, espero que tenham gostado da indicação da loja, e não deixem de passar lá para conhecer! ♥
Obrigada Ravenous! ♥
Este mês de Novembro acabei desacelerando nas leituras novamente, mas tenho mantido uma média razoável. Faz um tempinho que finalizei As Cavernas de Aço, e já comecei O Sol Desvelado, caminhando para o final da minha meta de ler todos os livros do Asimov que foram publicados pela Editora Aleph! ♥ Finalizando este, fica apenas Os Robôs da Alvorada, que irei receber em breve, e depois, poderei partir em direção à minha meta do Philip K. Dick. Sei que no final disso tudo, vou acabar lendo o catálogo inteiro, mas ficção é tão fascinante pra mim, que será um prazer! Haha! Voltando ao assunto...
Sobre a História: Em Nova York, o investigador de polícia Elijah Baley é escalado para investigar o assassinato de um embaixador dos Mundos Siderais. A rede de intrigas envolve desde sociedades secretas até interesses interplanetários. Mas nada o preocupa tanto quanto o seu parceiro no caso, cuja eficiência pode tomar o seu emprego, algo cada vez mais comum. Pois seu parceiro é um robô. Publicado no início da década de 1950, As Cavernas de Aço é o primeiro romance da consagrada Série dos Robôs de Isaac Asimov, mesclando de forma magistral os gêneros de ficção científica e literatura policial.
Comentários:
Desafiaram o Asimov a escrever ficção científica com suspense policial, julgando que era impossível unir estes dois gêneros numa história interessante e vejam só: ele foi lá e fez! As Cavernas de Aço é um livro tão interessante, que realmente prende nossa atenção do início ao fim. É o tipo de livro que dá saudade quando terminamos de ler. Como sempre, Asimov simplesmente dá uma aula de sociologia, ao analisar e descrever com maestria as interações humanas e seus problemas numa sociedade hiper populosa como a Terra do futuro. Falando um pouco mais sobre estes aspectos, adorei toda a projeção do autor: as esteiras de locomoção, os refeitórios comunitários, os Siderais, e enfim, todos os elementos futuristas que, inseridos no texto, o deixam muito mais atrativo, na minha opinião. Os personagens também são muito carismáticos, nos encontramos novamente (no meu caso, que finalizei a leitura de todos os livros da Fundação anteriormente à leitura deste) com R. Daneel Olivaw, meu personagem de ficção favorito! Acho muito interessante esse resgate que o autor faz, de personagens importantes de livros anteriores, criando uma história totalmente nova e com desfecho inesperado como neste livro! Entrou para a lista dos meus favoritos, com certeza. Recomendo à leitura para os amantes de suspense policial e de sci-fi, com certeza! ♥ 

Continuando a Futuristic Movie Timeline...
Alien, O Oitavo Passageiro conta a história de uma nave espacial, que ao retornar para a Terra, recebe estranhos sinais vindos de um asteroide. Ao investigarem o local, um dos tripulantes é atacado por um estranho ser. O que parecia ser um ataque isolado se transforma em um terror constante, pois o tripulante atacado levou para dentro da nave o embrião de um alienígena, que não para de crescer e tem como meta matar toda a tripulação. (www) | Alien é um filme que eu já tinha visto várias vezes na televisão, quando era mais nova. Reassisti ano passado, e pretendo rever mais uma vez, principalmente as continuações. É tão clássico que acho impossível que ninguém nunca tenha ouvido falar nele. Recentemente, a Editora Aleph lançou um livro escrito por Alan Dean Foster, que já recebi e ainda irei ler! De modo geral, eu gostei apenas do primeiro filme, os demais ficaram cansativos, as histórias meio que não me cativaram tanto, mas o primeiro foi o que realmente gostei. Adoro a Weaver! ♥
O Buraco Negro é um filme bem antigo de 1979. Ele conta a história de uma nave em missão científica que encontra o Dr. Hans Reinhardt, um gênio louco que tem sua espaçonave em órbita à beira de um buraco negro. Acompanhado por uma tripulação de robôs, ele está determinado a fazer uma viagem sem volta para dentro do buraco negro, levando a equipe da nave visitante consigo. (www) | Infelizmente não encontrei esse filme para assistir novamente, mas o que me lembro - assisti no ano passado - foi que gostei bastante da trilha sonora, do robôzinho que mesmo duro consegue nos cativar e também, do assunto inovador em comparação aos filmes da época. Ele é bem datado, mas é divertido de assistir. Eu pelo menos, gostei bastante! rs
Por fim, um velhão do Woody Alen, O Dorminhoco, de 1973. É a história de um clarinetista que foi congelado em 1973 é trazido de volta 200 anos depois por um grupo contrário ao poder vigente, que tenta derrubar o governo opressor. Ao contrário das intenções daqueles que o despertaram, ele quer conhecer este novo mundo, mas as inúmeras modificações ocorridas nestes dois séculos o coloca em diversas confusões. (www) | Este é outro filme que não consegui encontrar para reassistir. No entanto, lembro de tê-lo achado engraçado. A ideia de ser congelado e despertar depois de alguns anos foi bastante reaproveitada depois desse filme. A única coisa que realmente não gostei foi a tradução do título, que ficou tosca demais. 

Ultimamente tenho assistido bastante filmes e tenho enrolado para escrever aqui no blog, mas aos pouquinhos a energia vai voltando e vou colocando os projetos em dia. Espero que estejam gostando da Futuristic Movie Timeline! Até logo.
Fonte das Imagens: Google
Hoje, finalmente, venho com algumas considerações finais sobre o projeto que desenvolvi durante todo este ano de 2015, o projeto fotográfico Olhar Abstrato. A ideia do projeto era desenvolver minhas habilidades em fotografia ao mesmo tempo que compartilho aqui no blog algumas dicas, para quem se encontrava na mesma situação. Depois de perceber todo o retorno do projeto, a atenção dada, os comentários e tudo mais, pude concluir que alcancei o meu objetivo e agora, chegou a hora de finalizar esse projeto lindo, que me fez aprender bastante! Eu não sou fotógrafa profissional, baseei o projeto no livro Leia Isto Se Quer Tirar Fotos Incríveis, do Henry Carroll (que em breve terá uma review!) e acredito que ganhei bastante conhecimento com ele. Chegou a hora de dar tchau. A partir de agora, continuarei sim, compartilhando conteúdos relativos ao assunto, porém, de maneira livre, espontânea e vocês poderão acompanhar através da marcação Fotografia. Espero que tenham gostado! 

O que vimos durante o projeto?
É claro que pretendo elaborar mais alguns projetos fotográficos futuramente, principalmente um envolvendo cores (ainda estou analisando uma maneira interessante), mas basicamente, à título de utilidade pública, o Olhar Abstrato cumpre bem com esta premissa. Acima, como vocês puderam ver, foram discutidos vários temas básicos que podem ajudar bastante a começar tirar boas fotos, com um pouco de técnica, bastando pesquisar mais e aprimorar nossas habilidades por conta própria - e com treino, muito treino! Agora é só usar a criatividade, que é a real chave de todo o processo. 

Eu gostei bastante das fotografias que fiz durante o projeto - todas elas são minhas! Algumas sairam boas, outras nem tanto, mas foi o passo inicial para continuar aprendendo. De agora em diante, vou atrás de construir a minha galeria de imagens simétricas, uma das metas do 101/1001, que vocês poderão acompanhar através do meu Instagram! Espero que tenha ajudado bastante, e que tenham gostado do projeto! Ele é totalmente original e de autoria própria. Até logo!
Há algum tempo atrás, comecei a publicar alguns textos sobre Subculturas e acabei apagando. Porém, estava sentindo falta de compartilhar as minhas pesquisas e como não queria criar mais um blog para isto, resolvi reabrir esse espaço aqui no blog e continuar. Este texto em especial já foi publicado antes, mas como o considero relativamente bom, optei por disponibilizá-lo novamente.Daí em diante, vamos ver como caminharão minhas pesquisas simples nesta área, que publicarei conforme for encontrando coisas interessantes, ou conforme minha disponibilidade de horário para cria-las! :3  
Dentre todas as subculturas que existem, a que mais chama a minha atenção e se aproxima do meu "lifestyle" é a Subcultura Gótica. Eu não me considero gótica, porque evidentemente, bebo de várias fontes para compor o meu estilo e jeito de viver, no entanto, é inegável as inúmeras referências e identificações que tenho com esta subcultura. Por este motivo, resolvi escolhê-la como ponto de partida para este projeto. Para começar, quem tem interesse em saber de maneira mais aprofundada. sugiro a leitura do site Gothic Station, que tem muitas informações interessantes sobre o assunto. Faz alguns anos que conheci esse site, e é baseando-me nele que desenvolvo o texto de hoje.

Entende-se como subcultura um o conjunto de particularidades culturais de um grupo que se distancia do modo de vida dominante, sem se desprender dele. Este grupo geralmente é minoritário e possui um conjunto de símbolos e identificação que compartilham, formando uma identidade única. Por vezes, esta subcultura pode ser definida como oposta à cultura dominante, mas nem sempre é uma oposição radical. Vale lembrar que o termo "cultura" não se aplica somente à "cultura letrada". Um exemplo de subcultura evidente na nossa sociedade, é a Subcultura Gótica, que é uma subcultura mundial.

Dos anos 70 aos 80, o rótulo "gótico" foi usado inicialmente com ironia para definir um estilo que engloba música, visual e comportamento, surgido na Inglaterra. O nome pegou e é usado até hoje para denominar essa subcultura que, ao contrário do que pode parecer pelo nome, não tem nada a ver com os bárbaros góticos que invadiram o Império Romano no século IV. Ao longo dos anos, as palavras goth e gothic ganharam significados diferentes. Os sentidos que a palavra enquanto subcultura carrega são: sombrio, misterioso, vitoriano, fantasmagórico, onírico, etc. Isto não quer dizer que tudo o que seja sombrio seja considerado gótico, mas geralmente, tudo o que é considerado gótico tem esse toque sombrio, por exemplo.

Levando em conta os estilos musicais, podemos citar os movimentos Krautrock, o Glam, o Proto-Punk e o Beat, como influências. (Eu, particularmente, recomendo muito a leitura do livro "Mate-me, Por Favor" que conta a história do punk, mas dá para ter uma noção sobre as raízes e artistas que influenciaram a subcultura gótica). Entre os artistas estão Bowie, Velvet Underground ♥, Lou Reed, The Doors ♥, Iggy Pop & The Stooges, Brian Eno, Cabaret Voltaire, Patty Smith, Suicide, Leonard Cohen, entre outros. Vale lembrar que o gótico consiste numa subcultura completa, não somente um estilo musical.

Em questão de literatura, existem diversos autores consagrados pelos góticos, que podem muito bem representar a essência do que eles sentem e vivem, como por exemplo Horace Walpole, William Beckford, Mary Shelley, William Blake, Keats, Byron, Edgar Allan Poe, poetas como Baudelaire, T.S. Elliot, Rimbaud, Oscar Wilde e os filósofos Sartre e Camus. Ainda nesse contexto essencial, a subcultura também bebe da fonte do Expressionismo. A estética dos filmes, bem como da pintura Expressionista, tem sido bastante usada pelos góticos desde os anos oitenta. São exemplos de filmes: O Gabinete do Dr. Caligari, Metropolis, Nosferatu e Drácula, dentre muitos outros. Também são fontes de inspiração o cinema de terror "B".
Desmistificando algumas questões de senso comum, que geralmente ocorrem sobre os góticos: não é obrigatório só vestir-se de preto, embora a importância esteja no efeito dramático e o vestuário faça parte de uma identidade geral. Não é obrigatório gostar de ir em cemitérios, embora esteja presente na subcultura a fugacidade da vida, o carpe diem, a visão realista da morte como consequência. Gothic Metal não é uma evolução do Gótico dos anos oitenta... Góticos também não são deprimidos, nem suicidas, nem melancólicos, embora possam existir góticos com essas características, só que mais atrelada ao fato de serem humanos e não só porque são góticos. Góticos podem ter a religião que bem entender e existem góticos de qualquer cor de pele, não é somente para pessoas "pálidas, e brancas". Usar de qualquer um dessas sentenças de forma generalizada, é totalmente senso comum, afinal, somos pessoas, e podemos e temos comportamentos, e vidas totalmente diferentes.

Em questão de música, existem inúmeras bandas góticas, e eu poderia passar um bom tempo aqui escrevendo sobre elas, mas vou citar apenas algumas: Bauhaus, Siouxsie and The Banshees, Cocteau Twins, The Cure, Joy Division, The Damned, X-Mal Deutschland, The Smiths, Sisters of Mercy, The Mission, Alien Sex Fiend, Nick Cave, Opera Multi Steel, The Fields Of The Nephillin, Depeche Mode, Black Tape For a Blue Girl, Nosferatu, Inkubus Sukkubus, Faith and The Muse, Sopor Aeternus, The Birthday Massacre, e tantas outras que teremos a oportunidade de saber mais sobre elas em outra publicação.

Finalizando, falar sobre subcultura, principalmente a gótica, sempre é algo polêmico, pois cada um tem a sua interpretação, e os "extremistas" sempre acabam por não aceitar um fato ou outro, como por exemplo, a questão do vestuário. "Ah, você não se veste o tempo todo de preto, então, você não é gótico". Como ficou claro (espero), a subcultura é algo que vai além da estética, embora haja uma identidade visual de grupo. Porém, acredito que a questão estética está mais relacionada à "atmosfera geral" da subcultura, ou seja, a pessoa passa a gostar desse visual mais dark por associação, não por obrigação ou regras. Mas bem, este é um assunto que ainda daria muito o que conversar, fica então, para outra oportunidade.

Esse texto é bem resumido mesmo, mas espero que tenham gostado e compreendido um pouco melhor o que significa essa subcultura. Dentro dela, costumo me enquadrar mais pelo meu gosto em questão de música, literatura e o apreço pela estética dark, embora eu não seja tão desenvolta em questão de vestuário - pelo fato de meus "outros gostos" também influenciarem bastante em meu estilo. Mas falarei sobre isto depois.
Fonte das Imagens: Google Images
Dois meses para o final do ano! Sempre quando chega essa época fico um pouco ansiosa, porque eu gosto das festas de final de ano e a perspectiva de um ciclo novo que irá iniciar. Eu não fazia ideia do que colocar como metas, porque tenho seguido bem com minhas leituras, filmes e afins, portanto, analisando as 101 metas, resolvi colocar alguns "passos menores" para que eu consiga alcançar algumas delas. Até que criei metas bastante interessantes e desafiadoras, principalmente as de leitura.

01. Finalizar a leitura dos livros do Asimov publicados pela Aleph.
Essa é fácil, estou finalizando O Sol Desvelado e fica faltando apenas Os Robôs da Alvorada.

02. Conhecer pessoalmente um amigo que tenho contato pela internet.
A maioria das pessoas que conheço online são de São Paulo, e nunca as encontrei!

03. Experimentar uma culinária nova (exceto japonesa).
A meta original são dez, como já fui em uma, faltam nove. Vamos aos poucos!

04. Ler os três livros do Philip K. Dick que estão na lista de espera.
Essa é a meta desafiadora, pois os livros do Philip K. Dick não são rápidos de ler.
Precisam de muita atenção, mas eu acredito que consigo sim. 

05. Terminar de estudar o Tarot Wicca e iniciar o Tarot Mágico das Bruxas.
O Tarot Wicca foi meu primeiro baralho, quero finalizá-lo e iniciar o das Bruxas.
Este último comprei este ano, e mesmo utilizando pouco, já gostei muito dele.

06. Visitar três museus de São Paulo.
Tem bastante lugares interessantes em São Paulo que não fui ou faz tempo que não vou.
Chegou a hora de refrescar a memória e fazer alguns passeios culturais! ^^

07. Comprar uma agenda para 2016.
Aproveitar e já me programar para o próximo ano.

Para este mês é mais que suficiente. Vou continuar na busca pelo job temporário também e manter os olhos atentos para a inscrição do SENAI, que são meus principais focos no momento. Espero concluir essa etapa também! ^^ 
E vocês, o que esperam fazer em Novembro?! Até logo.

Contact Me

Contact With Me

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing and type setting industry when an unknown printer took a galley of type

  • 9908B Wakehurst St.Rockaway
  • 990800113322
  • info@domain.com
  • www.yourinfo.com