Memórias de Cabelos

Memórias de Cabelos

Estou feliz em participar do projeto coletivo Memórias de Cabelos. Gosto de escrever sobre cabelos e já passei por muita coisa desde quando comecei, e estava entusiasmada com a possibilidade de trazer este conteúdo para o blog.

Publicação longa! :P
Dos 13 aos 18 anos (2010) sempre pintava os cabelos de preto. Meu cabelo natural já era escuro, mas eu queria que ele ficasse preto bem preto. Então, pintava. Não entendia nada de cabelo, e tratava com o que tinha em casa, como Yamasterol, Aquamarine (lembram?) e Elseve. Nessa época também cheguei a usar hennê, e tive o cabelo liso mais saudável da minha vida. rs Confesso que sinto saudades e quem sabe um dia não volto...
Um belo dia, cheguei da academia e fui tomar café em casa. Sentada na mesa, comecei a mexer no cabelo e percebi que só usava preto havia anos. Foi então quando decidi ir na perfumaria que tem aqui perto de casa (até hoje!) e comprei uns descolorantes e oxigenadas e resolvi descolorir sozinha toda a parte de baixo. Vi que deu certo... Na semana seguinte, acabei descolorindo mais uma parte e quando percebi, já tinha descolorido tudo! Minha mãe ficou hiper maluca! Acabei comprando uma tinta que não me recordo qual foi para dar um jeito nas manchas e ficou o resultado da foto acima. Foi muito difícil tirar anos de preto do cabelo!
Como exatamente decidi ir para o vermelho, não lembro. Só lembro que queria uma cor diferente. Desde os 15 via fotos de cabelos coloridos na internet, e aquele catálogo antigo da Exotic Colors é tão nostálgico pra mim! Mas não era ainda o que eu queria, porque me tornar colorida foi meio que por acidente... Foi espontâneo, na verdade. Enfim, com medo de que eu fizesse grandes estragos no meu cabelo longo, minha mãe resolveu me levar no cabeleireiro. E o que ela fez... bom, vocês viram na foto acima. Aqui já estavamos em Agosto de 2011, minha primeira descoloração foi pouco antes de eu entrar na Livraria Saraiva.
Acho que vocês já deduziram que eu achei uma merda. Eu fui no salão com a minha mãe, e queria que a cabeleireira deixasse o meu cabelo vermelho fogo, hiper vermelhão mesmo! E o que aconteceu... Saí com o cabelo mais escuro do que estava antes, e com uma progressiva mal feita ainda, que me rendeu uma quebra que foram meses para restaurar! Foi aí então, onde comecei a pesquisar sozinha para fazer as coisas em casa, com mais cuidado. Resultado: descolori novamente, e o resultado foi a foto da esquerda, acima. Como ainda não conhecia nenhuma tinta tonalizante acessível, pintei com a Hard Colors Ultra Red e o resultado, foi a foto da direita. Eu amava meu cabelo vermelhão! ♥
Como devem saber, Hard Colors não é melhor tonalizante em questão de fixação, pois sai muito rápido. Comecei a perceber isso, porque toda vez que lavava, o vermelhão lindo ia embora. /: O tom magenta da foto, consegui porque misturei o tonalizante Ultra Violet com a Ultra Red da Keraton. Na primeira lavagem saiu todo! /: Foi aí então, onde comecei a pesquisar e descobri que além de Exotic, existiam Directions, Candy Color, Special Effects e Manic Panic, e o mais legal: que eu poderia comprar pelo Ebay! É claro que eu já acompanhava blogs como o da Raki, e já sabia da existência delas, mas eu não pesquisava com afinco, então, pensava que eram marcas "fora da minha realidade". Não sabia nem como fazia para trazer de fora do Brasil, e eu também não era uma internauta ativa, passava pouco tempo online. 
E enfim, conheci a Candy Color! As primeiras cores que usei fora a Pepper Red e a Sweet Cherry. Usei por meses, simplesmente me apaixonei! Nessa fase, enfrentava meus primeiros problemas de aventureira em casa: comecei a sofrer com as quebras, e tive um corte químico. Foi então, quando montei um caderninho de receitas e comecei a estudar com afinco. Foi onde acabei abrindo um blog e passando bem mais tempo online, conhecendo grupos, outras coloridas e etc. Aprendi muita coisa, muita coisa mesmo daí em diante, e comecei a pegar gosto por tratamentos capilares. A primeira foto estou com a Pepper, a segunda com a Sweet Cherry e a terceira, estava numa espécie de hiato porque queria deixar o cabelo crescer e desbotar bastante, tratando muito pra poder descolorir novamente. Foi nessa fase que percebi que progressivas e descolorações não combinavam, pelo menos não no meu fio.
As fotos acima são do período de hiato. Pesquisei bastante, aprendi e resolvi experimentar algo que nunca havia experimentado antes e que fez eu me apaixonar: cabelos curtos! Aproveitei que as pontas do meu cabelo estavam zoadas, e que havia tido um corte químico em uma parte dele, e fui sem dó nem piedade fazer mais uma maluquice, para quem teve a vida inteira cabelos longos. Gostei tanto, que uso até hoje. Só parei porque eu e meu namorado fizemos um trato de passar 1 ano sem cortar os cabelos juntos! Olha que incentivo! ♥ Enfim, até aqui, bye bye 2012!
Depois de um tempo só tratando, descolori a raíz, desbotei o restante do cabelo e fui para a minha primeira cor "absurda" sem querer querendo. Pintei com a Chrome Orange e não esperava que fosse ficar tão neon! Foi aí onde entrei pro mundo das coloridas diferentes, aquelas que eu via tanto pela internet. Passei por vários tons de laranja, até aquele amarelado estranho ali da última foto. O que mais gostei foi aquele laranja da foto com a camiseta Jack Daniels. *-*
Comecei 2013 com estilo. u.u Pintei com a Vampire Red da Candy Color também. Eu tinha feito um rolo numa progressiva que eu tinha aqui em casa com a Raki, e ela me mandou vários tubos de Candy, por isso tinha tantas cores à disposição, fora as que comprava. Eu adorei o vermelho rosado da Vampire Red! Fiquei com ele bastante tempo.
Estou parecendo um emo nessas fotos. D: Mas tudo bem, foram as únicas que restaram da minha fase rosa. Bom, daqui em diante, continuei aprendendo mais sobre cabelos e nunca mais sofri nenhum corte químico ou prejudiquei meu cabelo de maneira grave. Conheci bons descolorantes e produtos de tratamento. O blog estava me ajudando a fechar parcerias com boas marcas, portanto, manutenção era o que não faltava! Vou fazer uma montagem mais geral para ilustrar as cores desse ano.
Alguns tons de roxo, que foi realmente a primeira cor diferentona, já que laranja lembra um pouco ruivo. Depois, alguns tons de azuis. E foi aí onde me apaixonei. Para adiantar um pouco a publicação, vou pular algumas cores intermediárias. Se não, aí sim ficaremos aqui até amanhã! xD
Passei um bom tempo usando a cor Índigo Blue da Candy Color. Alternava com a Night Sky e simplesmente era e ainda sou apaixonada pelo meu cabelo na cor azul escura. Também é a cor preferida da minha mãe, que vive me pedindo para pintar novamente até hoje. Mas como gosto de experimentar e não estacionar...
Até aquela época, a foto acima mostra o mais próximo de um "platinado" que pude chegar. Fiquei loiríssima, e dei um choque em todo mundo no trabalho, porque foi meio que do nada. Aliás, todas as minhas "grandes mudanças" aconteceram sem avisar. Eu queria pintar o cabelo de azul claro, e então, resolvi descolorir mais uma vez. Como tinha ficado um loiro homogêneo, resolvi passar uns dias tratando antes de colorir novamente...
Foi a partir daí que conheci a Directions. Lembro de ter encomendado uns quatro tons de azul e o primeiro que experimentei foi a Lagoon Blue que tem uma duração incrível para uma tinta tão clara! É possível até mesmo diluir e fazer um tom pastel que dure um pouco mais do que o convencional. Essa época deu início à mais de um ano apenas no cabelo azul e foi nesse meio tempo que comecei a testar tintas de outras marcas para o projeto ABC Cores, que existia no meu blog antigo. Hoje, a ideia de testar várias cores de várias marcas tornou-se apenas um objetivo à longo prazo, já que não quero mais ficar tanto tempo na mesma cor. Depois de um tempo, fica meio "difícil" discernir um tom de azul para o outro.
Depois de vários meses testando inúmeros tons de azuis, cansei e resolvi voltar para o roxo. Passei alguns meses assim, e comecei a deixar o cabelo desbotar bastante entre um retoque e outro. Gostava do efeito raíz enorme com pontas coloridas. Demorou um pouco até o retoque...
Até aqui, já estávamos em 2014 e resolvi retocar com a cor Atlantic Blue da Directions. Foi uma das cores que mais gostei. No entanto, passei bastante tempo usando as cores Neon Blue, Lagoon Blue, Atlantic e Midnight Blue. Praticamente não conseguia mais ver diferença entre as cores, apenas a Lagoon que era mais clara e a Neon, mais escura. Quando desbotavam, também acabavam indo para o verde ou azul claro. De forma geral, a Directions é uma das melhores tintas coloridas que já usei até hoje. Dura horrores!
Por fim, entrei em hiato novamente. Comecei a experimentar cortes bem curtinhos porque estava querendo começar a deixar o cabelo crescer e sabia que quando começasse, não iria querer voltar mais. A foto acima mostra o efeito depois de alguns meses sem retoque. Eu simplesmente amava esse efeito, de pontas clarinhas, quase brancas com a raíz preta! Depois dessa foto, ainda tive outros tons de azuis quando retoquei, mas iria ficar repetitivo.
Resolvi recomeçar toda minha saga capilar e experimentar um montão de cores, agora que já entendia um pouco melhor do que servia ou não para meu cabelo e quais eram meus limites. Para começar minha jornada nas cores, fui para o platinado. Eu estava com o cabelo hiper curtinho, e resolvi deixar crescer - foi nessa época que houve o acordo mútuo com meu namorado de passarmos um ano sem cortar! A foto acima, foi no Ano Novo do ano passado, e confesso que foi um processo bem chato deixar platinado. Resumidamente, tive que descolorir a minha raíz, que estava enorme, depois, igualar as pontas que estava esverdeadas da cor anterior. Depois de todo processo, usei a coloração da Alta Moda para igualar tudo. A cor 12.00 Champagne é uma ótima alternativa, se for neutralizada depois de um dia (o efeito é como a foto abaixo), mas aquela cor 12.11 é extremamente acinzentada, apesar de ir desbotando e dar um efeito prateado bonito. Mas nos primeiros dias, me senti um ratinho. Enfim, a foto acima é com a 12.00 sem neutralizar, ainda suavemente amarelinho.
E finalmente, consegui deixar platinado e sem muitas manchas (visíveis). O processo enfraqueceu bastante meu cabelo, mas como fiz a lição de casa, tinha comprado bastante produtos e vinha tratando com muito amor e carinho. Não houveram quebras e o ressecamento estava em "níveis normais" para quem descolore. Essa fotografia é de Janeiro, e uma das minhas favoritas. Me sinto outra pessoa com cabelos nesse tom, mas já passei muitos bad hair days para tal, e acreditem, dá mesmo muito trabalho!
Para finalizar, uma fotografia de dois dias atrás, quando refiz a raíz. Meu cabelo já está um pouco maior e mais cheio. Platinado dá trabalho demais, mancha facilmente e amarela até com o Sol, como é de se esperar. Mas fica lindo quando bem cuidado. Resolvi fazer a raíz já que estava um mês sem retoque. Deixei 30 minutinhos com o Blond Me, depois neutralizei com a máscara matizadora Legalmente Loira, da Lola Cosmetics, minha preferida! Como percebi que a raíz ainda havia ficado amarelinha bem clarinha, resolvi misturar um pouquinho de Blueberry (tinta roxa) da Candy Color no condicionador da Avora e aplicar apenas onde estava amarelinho. Ficou um resultado bem inusitado, porque a tinta acabou pegando mais do que o esperado, mas está bem suave. Provavelmente em mais uma ou duas lavagens já sai totalmente, de qualquer forma, resolvi incluir uma foto porque gostei do resultado e do comprimento que meu cabelinho já está.

Bom, finalizando, visitem também o blog das demais participantes do projeto, contando suas respectivas histórias capilares que nunca nos cansam, não é mesmo?! Afinal, quem não gosta de mudar?! Obrigada pela visita!