Minha Opinião sobre o Marketing das Lojas Chinesas na websfera fashion brasileira

20.7.18

Já faz um tempinho que estou com esse texto na cabeça e pensando se valia a pena escrevê-lo ou não. Por fim, como podem ver, aqui estou escrevendo. Eu comecei com o blog (pra valer) em Janeiro de 2015, e desde aquele tempo pra cá, adquiri bastante conhecimento sobre esse esquema de "ser blogueirinha", e ainda percebo que há muito o que aprender. Somado ao fato que atualmente também estou no processo de entender melhor como funciona o business do YouTube. Nesse meio tempo, algo que venho percebendo com clareza é a atuação do marketing das lojas chinesas com relação aos YouTubers e Bloggers brasileiros - vou me ater aqui aos mais focados em Moda, que é a área que tenho mais propriedade pra falar no momento. Vale lembrar que esta minha exposição é mais fruto de uma observação crítica minha do que qualquer espécie de julgamento pra ser mais exata. A finalidade é apenas fazer você pensar, querido cyberfriend. Deixe sua opinião também!
Pra ilustrar, uma foto maravilhosa feita pela fotógrafa Letícia @loony__ ♥
Já pra começar, assim de maneira bem direta, basicamente as lojas chinesas veem potencial onde a maioria dos anunciantes brasileiros - sobretudo as marcas alternativas e grandes nomes - não veem e muitas vezes, desprezam: nos blogs / canais pequenos! Ao meu ver, eles parecem adotar a tática do "quem é visto, é sempre lembrado", não importa onde. É um risco, se pensarmos com a cabeça de uma empresa grande, afinal, nem todo mundo que inicia um blog pode exatamente crescer e virar uma pessoa influente nesse meio, mas certo é que praticamente todo mundo no estágio inicial de atuação acaba aceitando trocar marketing digital gratuito por umas roupinhas interessantes "na faixa" - como eu mesma já fiz no passado. Acontece que essa simples atividade pode acabar gerando uma boa renda pra essas lojas, em troca de pouquíssimo retorno para o blogger / YouTuber em questão, principalmente se pensarmos que aquele texto / post / vidjo ficará ativo na internet enquanto a própria internet existir! Ou seja, enquanto grandes marcas se concentram em quem já é influente, as lojas chinesas se preocupam em serem lembradas e estarem sempre presentes na memória da grande massa de leitores e "viewers" (?) que são, muito provavelmente, sua maior clientela em potencial, ainda mais se considerarmos os preços competitivos! Não vou entrar aqui na discussão da qualidade do vestuário em questão, pois não é este o foco, mas enfim... quem é que não vai querer roupa estilosa com valor em conta?! Resumidamente, sai um valor absolutamente irrisório para a loja esse esquema de parceria! Ainda há de se considerar que muitas lojas nacionais também se utilizam do método para divulgação, mas nem se compara com a forma como essas lojas estrangeiras se organizam neste meio.

Se isso é algo bom ou ruim, cabe à cada um julgar por si próprio. Na minha humilde opinião, eu acredito que isso prejudica um pouco no crescimento das lojas alternativas brasileiras, já que o custo de produção de uma peça aqui acaba sendo muito maior que lá fora, isto ainda sem levar em consideração a diversidade no design e o valor da venda em si. Acaba sendo um trabalho hercúleo erguer e mais importante que isso: manter uma marca em crescimento em solo brasileiro. Eu foco mais em brands alternativas, pois as grandes marcas já tem seu público de peso que é a população no geral, mas enfim... acabam sendo todas aquelas peças já manjadas e meio que mais do mesmo porque é o que simplesmente vende, e grande parte da população custa muito a abrir a mente pra coisas novas o que também é compreensível, dado nosso esquema social, a forma como funciona e etc e tal. (O que não é só percebido no vestuário, mas enfim... essa discussão iria longe). E também pelo fato de uma das características de uma marca alternativa ser mesmo um público mais restrito, mas o foco é que até mesmo esse público mais restrito acaba tendo um acesso maior à essas lojas estrangeiras justamente por este esquema de marketing!

Voltando ao assunto, como tudo nessa vida há os pontos positivos e negativos nesta situação. Os positivos, sem dúvida, é a oportunidade que o blogger / YouTuber iniciante recebe de ter um retorno ou uma forma de recompensa pelo que faz, esse impulso inicial é interessante pra que ele motive-se em seu trabalho. Eu já estive lá (e ainda meio que me considero, em alguns aspectos) então, sei como é esse feeling. Então, cabe à ele julgar se esta proposição lhe será vantajosa ou não. E os pontos negativos, são em maior parte estes que citei aqui acima. O suporte que o blogger / YouTuber poderia receber para apoiar e dar impulso às nossas marcas alternativas brasileiras é substituído pelo estrangeiro, e cria-se aquele círculo vicioso que já conhecemos bem: o fortalecimento do mercado estrangeiro aqui no Brasil, em detrimento das marcas nacionais, como disse, as alternativas. Me vieram uma série de pensamentos na mente aqui, ainda sobre valorização do trabalho, recursos aplicados e afins, mas isto seria assunto para outro texto. Espero que tenha me feito compreender bem. E do meio pro fim, o que conta, é aquilo que já disse e repito: que cada pessoa avalie a situação e decida por si mesmo o que compensa ou não para seu próprio trampo. E bom, esta minha reflexão foi feita baseada na minha experiência, tanto com lojas estrangeiras e brasileiras, não sei como funcionam essas parcerias com quem já é bem maior na websfera, seja blogger ou YouTuber, então, pode estar sujeita à erros. Gostaria que compartilhassem comigo o ponto de vista de vocês nos comentários, e é isso aí!

Se gostou dessa minha reflexão e está afim de ler outras, recomendo esta publicação abaixo em específico. Lembre-se de deixar seu comentário com suas observações também, assim podemos trocar ideias e crescer juntos! Até logo!
Postagem - E aí, qual é a próxima rede social?!

You Might Also Like

2 comentários

  1. Já tem um tempo que eu vejo lojas chinesas laçando bloggers e youtubers pequenos. E isso me incomoda como leitora. Não pela loja ser chinesa em si, mas por parecer algo do tipo "ei, te mandei umas coisas, faça propaganda pra mim". Os próprios posts viram algo superficial, parece que a pessoa ta indicando por obrigação. E sobre a sua reflexão, eu concordo muito. A maior parte das pessoas não ganha nada além do produto, um exemplo que me deixou surpresa foi a Punk Rave mandar peças pra Rubia do Nosferótika e dar um cupom pros seguidores. Nunca que eu imaginei que uma marca alternativa grande ia fazer isso com uma Youtuber brasileira. Acho que é nesse esquema mesmo de ser lembrado, afinal a Punk Rave é chinesa e esse é o método deles. E indo mais além, eu to vendo lojinhas nacionais indo nesse esquema do "te mandei produto então me divulga", acompanhei uma treta de uma loja com a Thoryn Greenwitch porque ela não quis nenhum produto porque não fazia o estilo dela. Parece muito, muito superficial esse tipo de marketing e me entristece ver isso chegando pro meio alternativo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que se o YouTuber em questão se identifica com a loja e acha que vale a pena, ok... Mas no geral, fica superficial mesmo. Aliás, tudo o que é feito sem coração fica muito fingido, né... Quanto a isso, essas parcerias são bem comuns, na realidade, entre bloggers/youtubers com marcas estrangeiras. E não é o fato dela ser chinesa em si, mas esse tipo de marketing é característica marcante deles.

      Excluir

Muito grata pelo contato, seja sempre bem vindo! :3
You can contact me in english too! Be welcome! ♥

PORTFOLIO

YOUTUBE

INSTAGRAM