#BEDA14 • Tudo tem seu preço

14.4.18

Confesso que só quando estava escrevendo a metade do título lembrei que era o mesmo nome de um livro da Zibia Gasparetto, o primeiro livro espírita que li na minha vida. Na época, nem sabia o que significava espiritismo e afins, e acredito que mesmo hoje, me considero bem longe de saber por não ser exatamente o tipo de pessoa religiosa, embora tenha interesse por religiões. Seja como for, este não é o foco do que quero falar no momento. Estava aqui pensando sobre várias coisas que ouço de pessoas, de amigos meus, que saíram do país e dizem sentir falta. Coisas que temos presente o tempo todo e por vezes, nem notamos ou damos o devido valor. E aí que tive a seguinte reflexão...

É fato que o que eu menos gosto de morar em São Paulo é o transporte público. Em horário de pico é um sufoco, então, uma das coisas que mais me atrai pra morar em outros países é viver uma vida mais "desafogada" em diversos aspectos, dentre eles, o fato de haver menos lotações de todos os tipos. Mas, quando paro pra pensar na real possibilidade de eu me mudar, e no lugar para o qual eu me mudaria, me vem vários pensamentos. Percebo que em tudo há um preço que se paga, porque enfrentaremos situações adversas em todos os lugares que estivermos. Nada é perfeito, e isto não é novidade. Mas nem este fato de nada ser perfeito, e de que sempre enfrentaremos adversidades em si justifica o fato de não querer tentar!
Fotínea que tirei da Paulista.
Apenas refletindo pelo fato em si, comecei a perceber as coisas que eu sentiria falta porque aí, talvez, eu pudesse dar mais valor enquanto ainda as tenho. Como por exemplo, poder ir na Liberdade, comer aquele Yakissoba maravilhoso - que inclusive, a última vez que fui foi com a Bela, aguardem post futuro! - e poder comprar marcas como Lola Cosmetics e receber Kert em casa! Tudo bem que daria pra comprar pela internet, mas à um preço beeeem, né... hauha! Ok, vocês podem até dizer que lá eu encontraria coisas até melhores, mas estas são minhas favoritas, huaha. É algo que eu sentiria falta.

Bom... essa reflexão toda veio do simples fato de imaginar o que eu sentiria falta se mudasse de país. É claro que sentiria falta da minha família e amigos daqui, da possibilidade de encontrar rostinhos conhecidos a qualquer momento, e de poder ir no shopping e já ter tudo conhecido por lá... Mas falando sobre coisas materiais, acho que os cosméticos pra cabelo e a comida seriam as coisas que eu mais sentiria falta, à não ser que fosse pra um país "parecido" climatologicamente, heuhe!

You Might Also Like

2 comentários

  1. Oi Jaque! Eu penso muito sobre isso também. Meu marido tem uma vontade louca de sair do país, eu sou mais resistente a essa ideia. O que mais eu sentiria falta seria do clima (sim, adoro o calorzinho apesar de tudo), dos lugares que saímos e já conhecemos, da música (a maior parte do que ouço hoje em dia é em português, sentiria falta de ver algumas coisas ao vivo).
    Você escreve tão bem <3

    Beijos.
    Blog Carolina Ribeiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oe meu amô lindo! <3 Tudo tem seus prós e contras, né! Mas acredito que esse feeling de querer sair ou ficar realmente tem a ver com se encontrar onde mora mesmo! Agradeço o elogio e a visita! <3

      Excluir

Muito grata pelo contato, seja sempre bem vindo! :3
You can contact me in english too! Be welcome! ♥

LOOKS

YOUTUBE

INSTAGRAM